Um trio de cães na biblioteca

Na cidade de Tartu, em plena Estónia sobre o Báltico, uma biblioteca tem Tentel, Elli e Leero, três cães que incentivam as crianças à leitura.

Em muitas ocasiões, a aversão à leitura começa cedo, a dificuldade em ler e a crítica social face a isso afasta os pequenos dos livros.

Na Estónia encontraram uma interessante solução. As crianças com problemas de leitura ou baixos índices de auto-estima têm nesta biblioteca do leste de Tartu a companhia canina duas vezes por mês, numa terapia já comprovada positivamente.

Este projecto educacional inovador mostra o quão calmos são estes cães enquanto ouvintes e, ao contrário de outras crianças e adultos, nunca vão criticar a criança pelos erros na leitura. As sessões com os cães, adianta Ewa Roots, parte do projecto, aumentam a auto-confiança e as crianças começam a sentir-se seguras para se expressarem.

Esta ideia está perto de fazer um ano, tendo arrancado em Fevereiro de 2014, não tem custos e está disponível para todas as crianças que queiram participar. A maioria tem cinco, seis anos, mas alguns já têm 10 e há mesmo adolescentes.

Ao contrário de Portugal, a literacia na Estónia ronda os 100 por cento, num país muito avançado tecnologicamente, de onde surgiu o Skype, por exemplo. Não é por isso, contudo, que abdica da importância da base física comunicacional, essencial para todo o restante desenvolvimento.

Quando uma criança tímida vê alguém a ler para o cão, rapidamente fá-lo também. As crianças podem levar os próprios livres ou escolher dos que existem na biblioteca. Leero gosta de ouvir Harti ler-lhe histórias do Puff. Kevin prefere Elli para lhe ler, enquanto Tentel adormeceu a ouvir Ingrid, que não parou de ler e mostrar-lhe as imagens do livro da Idade do Gelo.

Têm sido realizadas experiências noutros países com porcos, póneis, em vez de caninos. Em Tartu encorajam ainda as crianças a lerem aos animais de estimação que tenham em casa, em mais um excelente exemplo de terapias alternativas, inventivas e bem sucedidas.